sábado, 19 de dezembro de 2009

Lua Nova

O mais trágico de falar deste "Lua Nova" (New Moom, EUA, 2009) é não ter conhecimento dos livros. Eu não tive oportunidade nem vontade de ler nenhum deles. Por isso seria complicado eu questionar a adaptação. Mas a história - e isso é fato - é muito fraca.
Mais longo do que o necessário (os fãs dizem que os acontecimentos se passaram rapidamente demais, mas eu pergunto: que acontecimento?), "Lua Nova" não traz nenhum fato que justifique suas duas horas e dez minutos intermináveis de fita.
No novo episódio da série de Stephenie Meyer, Bella (Kristen Stewart) cai em profunda depressão depois do sumiço repentino do seu namorado-vampiro Edward Cullen (Robert Pattison). Pra aliviar a dor, a garota vai chorar as mágoas na companhia do lobisomem Jacob (Taylor Lautner), enquanto é perseguida pela vampira assassina Victoria (Rachelle Lefevre).
Com pouquíssimos acontecimentos relevantes para a série, o filme se sustenta somente pela absurda bilheteria paga por meninas adolescentes e meninos-emo que não sabem se comportar dentro de uma sala de cinema e, segundo testemunhos, pelo menos em todo o Brasil, gritam freneticamente a cada cena em que aparece um homem sem camisa. Aliás, isso não é difícil de acontecer, já que o filme parece mais um encarte de modelos do que um obra cinematográfica propriamente. Atores e atrizes que brigam pela pior atuação, e com comportamentos que nos deixam seriamente com a impressão de que o diretor Chris Weitz não está com vontade de fazer cinema, e a roteirista Melissa Rosemberg tem problemas sérios com construção de cenas.
O que dizer da cena que os dois lobos quase se matam, um deles quase ataca Bella e instantes depois pede desculpas com um sorriso inquietante, como se nada tivesse acontecido. E Bella acompanha o cara como se a companhia dele fosse a mais segura do mundo! Entre outras coisas ruins e questionáveis, claro.

Robert Pattison consegue ser o ator mais inexpressivo que eu já tive conhecimento na história do cinema. Seus olhares são sempre para o mesmo lado (cara de paisagem) e suas falas sempre com a mesma entonação. E a garota Kristen Stewart, não sei se por fazer muito bem ou muito mal a personagem, tem cara de barata tonta e não convence em sua atuação chata.
No fim das contas, fica claro o objetivo do filme: agradar as meninas e render dinheiro, que aliás, não é pouco.
Há quem diga que "Lua Nova" é melhor que seu antecessor, "Crepúsculo". Não acho. "Crepúsculo", apesar de ruim, ainda contava alguma história. Em "Lua Nova", pelo que me recordo, acontecem três coisas importantes (sim, somente três), com um final clichê e aberto para o próximo filme da série. Resta-nos clamar por paciência para aturar os próximos filmes, ou por uma melhora no resultado dos outros exemplares da saga.

2 comentários:

  1. Merece aplausos por ter aguentado mais de duas horas assistindo isso.

    ResponderExcluir
  2. Antes mesmo de ler o comentário acima, eu juro que ia deixar apenas o seguinte como comentário:

    :clap:

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre este filme? E sobre esta crítica? Comente! Deixe a sua opinião! Participe!